Com Hans, entre o barroco e o rococó

Nada como uma lente profissional. Habituada a abastecer o #OxeRecife a partir de fotos feitas com celular – é prático e não pesa – não tinha como não aproveitar essas lindas fotografias que foram  produzidas por Hans Von Manteuffel, fotógrafo de mão cheia, e meu colega de muitos anos, quando atuávamos juntos no jornal O Globo (do Rio de Janeiro), e respondíamos pela cobertura jornalística da região Nordeste, tendo o Recife como base. Mal tínhamos tempo para contemplar melhor a cidade. Hans nasceu na Alemanha, terra de lindos monumentos anteriores ao século 16, quando o Brasil foi descoberto.

Mas não abre mão de captar as belezas desse nosso novo e tropical mundo, tanto que escolheu o Brasil para morar, e só volta a passeio ao seu país de origem.  Como estamos, ambos com tempo mais disponível, o convidei para fazermos, juntos, um dos percursos do Olha! Recife, programa de sensibilização turística da Prefeitura, que ocorre todas as semanas, em roteiros previamente divulgados pela Secretaria de Turismo, Esportes e Lazer do Recife. Como tinha ficado encantada com uma visita à Basílica da Penha, no bairro de São José, motivei o meu amigo para fazermos um outro percurso, dessa vez pelos monumentos religiosos de estilo barroco ou rococó. Achei que seria uma boa oportunidade para ele enriquecer seu banco de imagens. Ele topou. E depois me presenteou com algumas pérolas que documentou.

Construída por irmandade formada em sua maioria por escravos, a Rosário dos Pretos levou …. anos para ser concluída.

Os locais visitados foram três: Convento Franciscano de Santo Antônio (na Rua do Imperador) Igreja do Rosário (no Pátio do Rosário) e também  a Igreja de Nossa Senhora do Carmo (no chamado Pátio do Carmo, na Avenida Dantas Barreto). Na primeira, não tivemos acesso ao interior. Como o passeio é gratuito e a Ordem Franciscana não abre mão de pagamento pela entrada, o grupo só vê o templo de fora. E, claro, ouve dos guias a sua história. No segundo caso, a do Rosário  já estava aberta e com guia  especializado em turismo religioso à nossa espera. A Igreja de Nossa Senhora do Rosário  começou a ser construída em 1725, e ficou pronta 52 anos depois.

Chamam-na popularmente de Igreja do Rosário dos Pretos. Ela foi construída pela Irmandade de Nossa Senhora do Rosário dos Homens Pretos de Santo Antônio, formada por escravos em sua grande maioria, e por esse motivo erguida com grande sacrifício. Sua fachada é um exemplar da arquitetura barroca. Já a Basílica do Carmo foi iniciada em 1687 e concluída em 1720. O edifício é considerado obra prima do rococó. Atenção para detalhes em cantaria. Já no interior, o altar-mor, todo em ouro, é tido como  um dos mais representativos do barroco pernambucano. A Igreja abriga imagem de Nossa Senhora do Carmo, padroeira do Recife, cuja festa é celebrada no mês de julho. O toque triste ficou por conta das calçadas muito mal conservadas, cheias de buracos. E também do excesso de lixo, por onde passamos.

Leia também:

Minha tarde no Olha! Recife
Minha tarde no Olha! Recife (1)
Relíquia religiosa no Olha! Recife
Poesia e herança árabe, no Olha! Recife
Olha! Recife vai hoje pelas igrejas.

Texto: Letícia Lins / #OxeRecife
Fotos: Hans Von Manteuffel / Cortesia

Compartilhe

Deixar uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *