Parem de derrubar árvores (53)

Hoje, Dia da Árvore, já está no tempo de fazer um subtotal das árvores “erradicadas”, computadas pelo #OxeRecife nas ruas, praças e jardins da nossa cidade, problema que me preocupa. E muito. A mim só, não, a toda população. Tanto que leitores também me enviam fotografias e relatos de vítimas do arboricídio que ocorre nas ruas da capital. É verdade que cerca de 90 por cento dos registros são de minha autoria. Mas os dez por cento restantes são de pessoas indignadas com o que observam na paisagem de nossa cidade.

Até agora, somam – só em 2017 – nada menos de 53 postagens, sobre essa triste realidade que termina por transformar o Recife na capital nacional dos toquinhos.  Juntas, elas dão conta de 84 árvores eliminadas de nossas ruas, incluindo a da foto que abre esse post, feita na Rua Álvaro Macedo, à altura do número 190. O bairro é o do Poço da Panela, Zona Norte do Recife. E o “assassinato” foi documentado durante caminhada com alguns amigos.  Ao longo desse ano, tive o cuidado de fazer o registro fotográfico, com endereço e data de todos esses “indivíduos” que foram eliminados. Como já disse em ocasiões anteriores, já viajei por treze países de três continentes e nunca me deparei com essas cenas grotescas que vemos no nosso querido Recife.

Essa “hecatombe” , na Rua da Aurora, mostrada aqui no #OxeRecife, teve mais de 4 mil visualizações no Facebook do Blog.

Também não as vejo uma situação destas em outras cidades do nosso país e nem mesmo em pequenos municípios do interior do Nordeste. Não com essa frequência que observamos no Recife, onde a cada esquina, me deparo com um cadáver insepulto. E o que é pior, sem nenhum outro a brotar na cova. Há exceções, é verdade. Mas são poucas. Como os tocos ficam, não há como plantar outra árvore no mesmo local. Tenho visto reposições sim, mas raríssimas. Diz a Emlurb que para cada árvore eliminada, duas são plantadas. Mas aí eu pergunto: será que uma árvore plantada em Boa Viagem, por exemplo, vai dar à população de Casa Forte o mesmo conforto de uma que foi erradicada nesse bairro? Não vai. Porque o calor aumenta no local de onde ela foi tirada.

Até 2015, a conta da Emlurb era que 5 mil árvores haviam sido erradicadas nos primeiros três anos da atual gestão na Prefeitura. Na época, atuava na grande imprensa do Recife, e fiz o devido registro. Quando iniciei esse Blog, no ano passado, o número de erradicadas havia caído para 4 mil, provavelmente por alguma mágica numérica. Solicitei ontem à Emlurb dados atualizados a respeito do balanço de nossas árvores. Mas até hoje à tarde, a  resposta não chegara. Se vier, atualizarei esses doados. Deve ser uma conta amarga. Os números oficiais indicam que o Recife tem 250 mil árvores. Há relatórios  que calculam uma proporção de 1,2 metro quadrado por habitante. Em 2030, se o Parque Capibaribe estiver pronto, a previsão é que essa proporção suba para 20  metros quadrados de área verde por cada recifense. Isto é, se não derrubarem o resto das árvores de nossas ruas até lá. #ParemDeDerrubarÁrvores

Leia também:
Parem de derrubar árvores
Quatro mil árvores eliminadas no Recife?
Verde em risco em Paulista
Mais matas devastadas em Paulista
Pau-de-jangada sobrevive na marra
Aprendendo a preservar a Mata Atlântica
População acusa arboricídio no Recife

Texto: Letícia Lins / #OxeRecife
Fotos: Letícia Lins e Alexandre Albuquerque / Cortesia

Compartilhe

Deixar uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.