Árvores viram pó no interior

Ainda mais essa. Como se não bastassem as árvores degoladas do Recife, ainda tem gente comprando madeira irregular por esse Pernambuco afora. Ou seja, esquentando os fornos com lenha clandestina, conseguida às custas da derrubada de nossas matas. Notícia triste, para o Dia das Árvore.

Pois no início dessa semana, a Agência Estadual do Meio Ambiente (Cprh) e a Companhia Independente do Meio Ambiente (Cipoma, da PM) deflagraram a Operação Casa de Taipa, que resultou na apreensão de 112 metros cúbicos de madeira. Eram galhos e troncos de árvores, provenientes de extração clandestina e criminosa.

O material estava em cinco olarias que funcionavam irregularmente, e que foram interditadas. Além disso, os responsáveis pelas cerâmicas foram autuados com multas que, somadas, chegam a R$ 36 mil.  As indústrias interditadas ficam em Nazaré da Mata, Paudalho, Lagoa de Itaenga  (Zona da Mata) e Bom Jardim (no Agreste).

Os troncos e galhos que virariam cinzas nos fornos eram de espécies da Mata Atlântica e da Caatinga. A Operação Casa de Taipa rendeu outros frutos: a apreensão de armas e de animais. É que foi feito o resgate de 38 aves de diversas espécies, a maior parte na cidade de Paudalho, que fica a  44 quilômetros do Recife. Os pássaros foram para o Centro de Triagem de Animais Silvestres (Cetas Tangará), e depois serão devolvidos à natureza. #ParemDeDerrubarÁrvores

Leia também:
Árvores nativas contrabandeadas
Mudas nativas no Parque da Macaxeira
Pau-de-jangada sobrevive na Mata
Mata de pau-de-jangada destruída
Animais: “Eles precisam de nós”

Texto: Letícia Lins / #OxeRecife
Foto: Divulgação / Cprh

Compartilhe

Deixar uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.