Motosserra virou “show de horrores”

O arboricídio está mesmo incomodando os recifenses. Até quem já não reside mais na cidade, reclama da matança de nossas árvores. Morador por dois anos de Setúbal – bairro vizinho a Boa Viagem – o leitor Eduardo Pinheiro envia desabafo ao #OxeRecife, dizendo que ação da motosserra no Recife virou “um show de horrores”, o que aliás, é também o que a população está achando.

Ele, como eu, como você, vivia inconformado com o barulho constante da motosserra insana e com a mutilação das árvores da Zona Sul, onde já está cientificamente comprovado que existem zonas de calor, devido à selva de concreto que toma ali todos os espaços. Vejam o que ele diz do período em que lá morava. “Não eram poucas as manhãs que eu acordava ao som das  motosserras”, lembra. “Era um show de horrores, mesmo sem nenhuma interferência na rede elétrica ou nas calçadas”,  porque  árvores sadias eram deixadas só no talo”, reclama.

Essa árvore foi assassinada pela motosserra porque tinha cupins, como se a praga não tivesse tratamento.  Pode?

E conta que telefonou várias vezes para a Emlurb, a fim de reclamar contra a destruição do nosso patrimônio verde. Informa que em duas  ocasiões, a autarquia enviou  um engenheiro “para inspecionar o que estava sendo feito”. Revela que ouviu, muitas vezes, o engenheiro “aos berros, mandando parar o serviço, que obviamente estava sendo mal feito”. Assim, conseguia evitar a tragédia. “Uma ou  outra árvore se salvava, mas algumas quadras à frente, a matança era certa”.

E desabafa: “Inaceitável que em uma cidade tão quente, repleta de prédios enormes e asfalto por todo lado, não haja política clara e eficiente de preservação e expansão de áreas verdes”. Bravo Eduardo! É isso aí. Sei que não estou sozinha nessa luta. Essa árvore da foto, na Rua da Alliança, foi “assassinada” simplesmente porque tinha cupins, como se essa praga não tivesse tratamento. A empresa que fez a mutilação, a serviço da Emlurb,  prometeu voltar uma semana depois, para retirar o toco, para que se plantasse outra em seu lugar. Mas não veio. A natureza, no entanto, está emprestando a ela um pouco do verde que existe no chão  ao seu redor.  #ParemDeDerrubarÁrvores

Texto e foto: Letícia Lins / #OxeRecife

Compartilhe

Deixar uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.