Parem de derrubar árvores (45)

Menos uma árvore no Recife. Desta vez, uma das mais emblemáticas do centro, exatamente aquele fícus que ficava na cabeceira da Ponte Princesa Isabel, na esquina com a Rua da Aurora, bem pertinho da estátua do poeta João Cabral de Melo Neto. Ela está sendo erradicada, engrossando a triste estatística do genocídio, ops… arboricídio que está detonando o patrimônio verde da nossa cidade. Para mim, ela é apenas mais uma vítima da motosserra insana, cujas marcas a gente vê em todas as esquinas, prática que começa a revoltar a população.

Estive lá hoje. O belo fícus virou um amontoado de madeira velha e queimada. Acredito que ele tenha, no mínimo 50 anos. Era uma bela árvore. “É uma pena que ela seja eliminada, pois dava sombra aos pedestres e a um punhado de vendedor de flanela, água mineral que faziam da árvore o seu abrigo nessa esquina”, lamenta o motorista de táxi José Alves Prado, que faz ponto próximo ao local, hoje reduzido aos restos mortais de  árvore antes tão frondosa.

Uma tristeza, contemplar a paisagem atual onde existia um ficus que embelezava a esquina da Rua da Aurora.

A Autarquia de Manutenção e Limpeza Urbana do Recife (Emlurb) nega que tenha determinado o assassinato do fícus. Em nota, explica que “parte da árvore de grande porte da espécie fícus elástica, localizada na esquina da Rua da Aurora com a Ponte Princesa Isabel, na área central da cidade, tombou em direção ao leito do Rio Capibaribe no fim da última semana”.

“Por conta do incidente, a árvore foi classificada como em risco de queda e, por isso, está em processo de erradicação. A operação de logística é especial devido ao grande porte e a localização da planta”, acrescenta a nota oficial. “A ação é acompanhada por um técnico especializado da Emlurb e deve seguir até a próxima semana”, completa. Triste fim para a bela árvore. Juro que chorei, quando vi o estrago.

Agora, a pergunta que não quer calar. Será que se o fícus tivesse recebido a atenção merecida, os cuidados fitossanitários, a manutenção necessária às árvores urbanas, teria tombado?  Emlurb diz que podem brotar flores, na cova do fícus. “A fícus elástica erradicada será substituída por outra muda, que possua características mais adequadas à área, como tamanho e crescimento de raiz”. E mais, quantos anos, uma muda levará até atingir tamanha exuberância e sombrear aquele pedaço tão movimentado do Recife?

Texto e foto: Letícia Lins / #OxeRecife

Compartilhe

Deixar uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *