Curso gratuito para mediador de museu

Um passeio de domingo a uma exposição em cartaz na cidade pode ser uma experiência muito mais interessante se o visitante se deparar com alguém capacitado para fazer a mediação cultural. Nem sempre, no entanto, essas instituições possuem profissionais que dialoguem sobre as obras, seus contextos, instiguem questionamentos e descobertas, e também ampliem perspectivas. No entanto, mesmo com vasto campo de trabalho, tanto no Recife quanto no interior do estado, não há uma formação específica para arte-educadores em Pernambuco.

O problema, aliás, ocorre em todo o Nordeste. O alerta é do Professor Everson Melquíades Araújo Silva, da Universidade Federal de Pernambuco (Ufpe). “Não basta ter um mediador no museu, se ele não tiver competências adequadas à importância da função. Existem também diferentes compreensões sobre mediação. Vamos iniciar essa discussão a partir da bibliografia e da própria experiência dos alunos”, complementa. Com base nessa demanda, ele está ministrando um curso sobre o assunto, no mês de setembro.

Professor da Ufpe, Melquíades reclama da falta de mediadores de museus em instituições culturais de Pernambuco

As inscrições para o curso Processos Educativos de Mediação Sociocultural em Instituições Culturais estão abertas até a próxima segunda-feira.  O curso é gratuito, e ocorrerá no Recife e em Caruaru. E as inscrições podem ser feitas pelo  site  www.arkhecultural.com.br/inscricoes. O curso é destinado a arte-educadores, mediadores de museus, instituições culturais e também estudantes do ensino Técnico e Superior. A capacitação é promovida pela Arkhé, com apoio da Fundação Gilberto Freyre, do Museu do Barro de Caruaru e da UFPE, e possui incentivo do Funcultura.

No Recife, as aulas serão na Fundação Gilberto Freyre, no bairro de Apipucos, Zona Norte do Recife. Ocorrerão às segundas-feiras, das 13h às 17h. No Agreste, o curso vai acontecer no Museu do Barro de Caruaru,  que fica a 130 quilômetros do Recife. No Agreste, as aulas serão às quartas-feiras, das 8h às 12h. São apenas 30 vagas disponíveis em cada turma, que terá no total dez encontros. Para Francisco Pereira, gestor do projeto, o curso descontrói a ideia de que os monitores das exposições são meros transmissores de informação. “É preciso um diálogo específico de acordo com cada público, uma abordagem específica que varia, por exemplo, com a faixa etária”, comenta.

Serviço:

Curso Os processos educativos de Mediação Sociocultural em Instituições Culturais
Quando: De setembro a dezembro de 2017
Onde: Fundação Gilberto Freyre (Rua Dois Irmãos, 320, Apipucos) e Museu do Barro de Caruaru (Praça Coronel José de Vasconcelos, 100, Centro)
Inscrições gratuitas até 28 de agosto pelo site: www.arkhecultural.com.br/inscricoes
Disponibilidade: 30 vagas para cada turma
Informações: Fundação Gilberto Freyre – (81)3441-3348 / Museu do Barro – (81) 3727-7839

Leia também:

Manuel Bandeira no Olha!Recife
Espaço Pasárgada precisa de socorro
Pelas terras da Várzea: de volta ao passado
História do piano no Ricardo Brennand
Conheça o Recife através dos tempos

Texto: Letícia Lins / #OxeRecife
Foto: Divulgação

Compartilhe

Deixar uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *