Parem de derrubar árvores (42)

Mais duas vítimas da motosserra insana, que virou epidemia no Recife, e que faz da nossa cidade a capital nacional dos toquinhos. Hoje, enquanto caminhava pela Avenida Rui Barbosa, me deparei com dois “assassinatos” de árvores, ambos muito recentes.

Os restos mortais das duas  se espalhavam pela calçada, onde o pó de serra ainda era visível no início da tarde de hoje, entre os buracos do concreto, em frente ao Colégio das Damas, no bairro das Graças.  Nas Graças, aliás, toco nas ruas é o que não falta, inclusive nos arredores do Parque da Jaqueira.

Duas árvores foram “assassinadas” na Avenida Rui Barbosa, nesta semana. “Arboricídio” prossegue, sem reposição.

Os toquinhos de hoje ficam bem pertinho da esquina  da Rui Barbosa com a Avenida Malaquias. Em um pequeno trecho  de menos de 20 metros de extensão, há três troncos mutilados, sendo  que um é mais antigo. Tudo bem pertinho do Jardim do Baobá. É impressionante como isso está virando um descalabro no Recife. Em todos os lugares, os toquinhos aparecem. As árvores são eliminadas, mas não são substituídas, embora os órgãos oficiais informem que de cada duas árvores “erradicadas”, duas são plantadas.

Dá para saber em que lugares?  Vejo nas ruas muitos troncos mutilados, mas não observo nada plantado no lugar das árvores que eles foram um dia.  Há algumas exceções da regra, como ocorreu na calçada do Parque da Jaqueira, na Rua do Futuro, também nas Graças. Mas isso não elimina a gravidade desse “arboricídio”. Em breve vamos sentir os efeitos desse “arboricídio” na pele. Ainda mais no Recife, cidade que se verticaliza mais a cada dia, e na qual já há registros de ilhas de calor, como ocorre em áreas do bairro de Boa Viagem. Parem de derrubar árvores.

Leia também:
Parem de derrubar  árvores

Texto e fotos: Letícia Lins / #OxeRecife

Compartilhe

Deixar uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.