Bem viver discutido no Jardim do Baobá

Nada como a mobilidade. E que bom sair de casa andando, ir ao trabalho andando, voltar do mesmo jeito. Tem coisa melhor? A mobilidade a pé, lembram os urbanistas, é um dos pilares que compõem a construção colaborativa da Nova Agenda Urbana (Nau), documento chancelado pela Onu-Habitat, e que deve guiar o desenvolvimento sustentável até 2037.

No Recife, uma das tentativas de viabilizar esse sonho é o Parque Capibaribe, que pretende implantar em nossa capital o conceito de cidade jardim. Ou seja, um Recife mais verde, mais humano, mais acolhedor, projetado para os pedestres e não para os automóveis, e no qual se estimule os pontos de convivência. Enfim, uma cidade modelo em 2037, quando completaremos 500 anos.

O Parque Capibaribe – que conta com grande simpatia da população – vem sendo desenvolvido através de parceria entre a Secretaria de Desenvolvimento Sustentável e Meio Ambiente e a Universidade Federal de Pernambuco (via Inciti– Pesquisa e Inovação para as Cidades). A partir da visão da cidade mais humana e acessível, teve início ontem no Recife uma série de percursos sensitivos, que se integram à Semana do Caminhar 2017. Afinal, é caminhando que se vivencia de verdade uma cidade.

Na manhã da segunda, por exemplo, houve atividades na Escola Creuza Barreto Dornelas Câmara, em Santa Luzia, Torre. Nessa quarta, tem encontro no Jardim do Baobá, entre 14 e 17h, para debater o tema Bem Viver e Direito à Cidade. Oportuno, não é? Afinal, quem tem chance tranquila de curtir o Recife direitinho? Primeiro, tem gente com medo de sair de casa, devido à violência. Segundo, nas ruas, quem se atreve a andar pelas calçadas – como é o meu caso – está arriscado a levar um tombo, porque o que não falta é buraco em todo canto. No início desse ano,  passei cinco semanas com o pé imobilizado por conta de uma calçada assassina. E eu que ando muito, posso garantir que elas são milhares no Recife.

Na quinta, no final da Rua das Pernambucanas, à margem do Capibaribe, haverá um encontro para discutir Gênero e empoderamento feminino. E no dia seguinte, sexta, entre 14 e 17h, mais um assunto muito oportuno, Mobilidade Ativa. Será no Econúcleo do Parque da Jaqueira. A Semana do Caminhar é organizada a partir de São Paulo (pela Sampapé), e promovida no Recife pelo Inciti em parceria com o Coletivo Massapê, contando com apoio da Prefeitura. Aí na foto, estou com um grupo do Caminhadas Domingueiras, comandadas por Francisco Cunha,  que defende com veemência o direito do pedestre à calçada como primeiro passo da cidadania. Ele lidera as Caminhadas Domingueiras, que funcionam  como estímulo para se conhecer melhor a Recife. E sempre a pé. Claro.

Leia também:
Pelas calçadas do meu Recife
Pelas calçadas do Recife
Paisagem colorida do Córrego do Jenipapo
Casarão do Açude do Prata perto da restauração
Conhecendo a Mata Atlântica
Enfim calçadas boas para se andar
Jardim do Baobá está detonado

Falta respeito ao Jardim do Baobá

Texto: Letícia Lins / #OxeRecife
Foto: Grupo Caminhadas Domingueiras

Compartilhe

Deixar uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.