Fantasmas de “Minha vida sem mim”

Dizem que o Recife é uma das cidades mais mal assombradas do Brasil. E as histórias são muitas: João Galafoice, Cumadre Fulozinha, Mula Sem Cabeça, o Papa-Figo, a Emparedada da Rua Nova, a Perna Cabeluda. A lendária Branca Dias também povoa o imaginário popular, porque contam que ainda aparece perto do Açude do Prata, em Dois Irmãos. Tem até o livro de Gilberto Freyre – Assombrações do Recife Velho – dedicado apenas ao assunto. Autores mais recentes, como Roberto Beltrão, pesquisam esse repertório em profundidade. O cineasta Adriano Portela prepara-se para filmar o Recife Assombrado.

O tema  das almas penadas motivou até roteiro turístico, baseado nas assombrações da nossa cidade. Pois me deparo agora com as mais novos “fantasmas” do Recife.  São as vítimas fatais de acidentes de motos, com as quais um cartaz dialoga com almas do outro mundo: “Aqui você morreu sem capacete. E a vida seguiu sem você”. Andando, encontrei um bocado pelo meu caminho, em esquinas e praças. Embora o diálogo seja com quem já morreu – para alertar quem está vivo – as motos brancas sob as mensagens dão um toque fantasmagórico à campanha, que achei criativa, original, bem bolada. Só não há, ainda, como aferir os resultados para combater a epidemia de acidentes

E o impacto que ela quer provocar tem alvo certo. Nossos indisciplinados motociclistas, motoqueiros, cinquenteiros e afins. Não ando de moto. Mas um dia destes estava lendo recomendações de um especialista no assunto, quanto ao modo como motoqueiros devem se comportar no trânsito. E fiquei impressionada como eles desrespeitam por completo as regras. Fazem tudo ao contrário. É muita inconsequência no meio das ruas, seja no Recife ou no interior. De acordo com o Detran-PE, há nada menos de 965.804 motos circulando por Pernambuco.

Em 2016, elas fizeram 29.261 acidentados entre os 39.300 vítimas de acidentes terrestres registrados na rede pública de saúde. É que informa ao #OxeRecife o Comitê de Prevenção de Acidentes de Motos em Pernambuco. De acordo com o Comitê, 80 por cento dos atendimentos de acidentados no trânsito em nossos hospitais públicos decorrem de colisões com motos.  Dos 14.701 atendidos este ano no Estado, 10.705 sofreram acidentes na moto. A campanha do Detran-PE – Minha vida sem mim –  foi idealizada para  tentar reverter essa tragédia, e começou no último dia 27. Além das motos fantasmas, conta com blitzes, motoqueiros da paz, folhetos, PM, Turma do Fom-Fom. Até dezembro, serão mais de 70 ações. Tomara que consigam um bom resultado.

Leia também:
Mistérios do além com Branca Dias

Texto e foto: Letícia Lins / #OxeRecife

Compartilhe

Deixar uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.