O anjo que chegou no meio do temporal

Quem nunca teve um problema com prestadores de serviço, como jardineiros, pedreiros, marceneiros, eletricistas? Há os dizem que vão, mas não aparecem. Há os que gostam de beber no final de semana, e queimam a segunda-feira. Há, também, os que não terminam os serviços. E o que dizer quando a emergência acontece no meio da noite, debaixo do maior temporal? Foi o que ocorreu comigo, na quinta-feira, quando comecei a ouvir pipocos e faíscas no meu quintal. Vi que o problema era elétrico. E endoidei, porque achava que era grave. Liguei para os eletricistas que conheço.  À noite, todos estavam na Caixa Postal. Entrei no Google, mas os que procurava também davam secretária eletrônica, telefone inexistente. Ou então “deixe seu recado”, totalmente incompatível com meu desespero diante do que eu achava ser um risco de incêndio, com pequenas explosões cada vez mais frequentes. Um desespero.

Fiquei pensando como esse setor de serviços deixa a desejar aqui no Recife.  Saí catando, um por um, até que apareceu uma luz no fim do túnel. Meu filho, Thiago, chegou a duvidar que o eletricista viria resolver um problema no quintal, debaixo do maior toró. Mas ele veio. E para mim, foi um anjo no meio do temporal. Luiz Felipe Lopes Santiago, 27, começou a trabalhar no setor ainda como menor aprendiz. Fez curso técnico de eletrotécnica no Senai de Areias, e já foi empregado em empresas grandes, como a Mondelez, que fica em Vitória de Santo Antão, a 51 quilômetros do Recife. Ali trabalhava no horário noturno, entre 10 da noite e seis da manhã. Decidiu  ser dono do seu negócio. E  abriu sua microempresa, a Soluções Ilimitadas. A empresa é ele mesmo, e fica 24 horas no ar. Filipe foi minha salvação. Ele cobra por visita (o preço varia, dependendo da distância), mais o valor do serviço. À noite, no meio do temporal, eliminou a bronca, em caráter provisório. E hoje, pontualíssimo, veio concluir o serviço. Chegou antes da hora marcada.

Como pessoa jurídica, ele presta serviços a empresas como o Banco Itaú e a lojas do Shopping RioMar. Apesar de jovem, já tem muitas histórias a contar. Tinha acabado de chegar de Aldeia, onde foi “estancar” um problema igual ao meu. Nesta semana, um cidadão de Água Fria solicitou seus serviços.  O homem estava preocupado porque sua conta saltara de R$ 50 para R$ 150  em apenas um mês. Felipe o aconselhou a procurar a Celpe, pois provavelmente o defeito estava no medidor, já que na casa só tinha uma geladeira e uma televisão. Mas o homem insistiu na visita técnica, mesmo sendo avisado que ela é paga.  “Quando cheguei lá, ao invés de seguir minhas recomendações, o cara queria que eu fizesse uma gambiarra”, conta. Caiu fora, depois de avisar ao cidadão que não faz esse tipo de serviço. Quem precisar de eletricista, eis aí uma dica: Felipe Santiago (manutenção, instalação, projetos, consultoria, treinamento). O e-mail é eltronicailimitada@gmail. Telefone: 995210239. Felipe é quem, é gente.

Leia também:

O talismã de crista

O mané gostoso de Saúba

A menina que salvava livros

Sérgio e suas vassouras coloridas

Texto e foto: Letícia Lins / #OxeRecife

Compartilhe

10 comentários

  1. Letícia,realmente o setor de serviços ainda é muito precário na nossa cidade. Imagino a sua aflição…
    Mas ainda bem que o seu problema foi solucionado por um profissional competente e responsável como o Felipe Santiago .Obrigada pelas dicas e já anotei o telefone dele!

  2. Já tive a oportunidade de precisar dos serviços do Felipe Santiago, serviço concluído com perfeição.
    Recomendo e assino em baixo.

Deixar uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.