Bandalha nas calçadas do Recife

Atenção, Francisco Cunha. Já que a Cttu faz vista grossa, está bom de você dar uma passadinha na Rua da União, para “aplicar” a multa cidadã, a chamada multa moral. Tenho recebido reclamações de pedestres e motoristas que dizem que, a cada dia, a situação daquela via está pior. Principalmente nas proximidades da Assembleia Legislativa, onde a fila dupla no asfalto é a regra. Pior ainda: as calçadas vivem ocupadas por automóveis. Essa semana, a amiga Anita Dubeux me enviou uma fotografia mostrando pedestre tentando andar na calçada. Mas no meio do caminho tinha um carro.  Tinha um carro no meio do caminho. Como sempre.

“Estacionamento na Rua da União, ao lado do número 543! Havia uma pessoa espremendo-se junto à parede, para poder transitar na calçada! Um abuso”, diz Anita. “Todos sabem que a União tem donos”, ironiza, referindo-se não só aos motoristas indisciplinados, mas também aos flanelinhas, que transformam a via pública em um espaço particular, onde quem manda são eles.  Fiz um apelo a Francisco Cunha, porque se vocês não sabem, é ele o idealizador da Campanha Multa Cidadã, que coloca cartões nos para-brisas dos carros estacionados nas calçadas.

Nos últimos anos, foram aplicadas 12 mil “multas”. E o Sócio e Consultor da TGI acaba de receber mais uma encomenda de 10 mil novas unidades. Nos cartões, estão impressas várias informações sobre o abuso. Primeiro,  eles citam que, pelo Código Nacional de Trânsito, estacionar o carro no passeio destinado ao pedestre é infração grave, que vale cinco pontos na carteira de habilitação.  E que a medida administrativa prevista para o caso é a remoção do veículo para o depósito do Detran. Mostram, ainda, que a penalidade vale uma multa de R$ 195,23.

“Além de ser uma infração grave, estacionar na calçada é um enorme desrespeito ao cidadão pedestre. A calçada é o primeiro degrau da cidadania. Quando não é respeitada, não se pode esperar respeito por mais nada numa cidade”, lembra Francisco, nos cartões da multa moral. Se você quer aderir à campanha, é só aderir à fanpage da iniciativa no Facebook (/multacidada), e imprimir a quantidade que desejar. Ou então enviar um e-mail para Francisco Cunha (fcunha@tgi.com.br) , e solicitar um talão. Nota dez essa campanha, já que a Cttu faz vista grossa.

Texto: Letícia Lins / #OxeRecife
Fotos: Anita Dubeux / Cortesia

Compartilhe

Deixar uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *