Artesanato para o Dia das Mães

Se sua mãe gosta de produtos artesanais – bolsas, acessórios, jarros, caixinhas, peças decorativas – uma boa dica para comprar o presente  de domingo é a  Feira de Arte e Artesanato do Capibaribe, que ocorre até a próxima sexta-feira, no andar térreo do edifício sede da Prefeitura. Os produtos à venda são de cerca de 40 artesãos vinculados ao Programa de Apoio ao Desenvolvimento do Artesanato do Recife (Prodarte). Eles oferecem bijuterias, artigos em couro, confecções, roupas de cama e  mesa, produtos decoração, além de comidas típicas. O evento acontece das 8h às 15h.

Uma dica de presentes com precinhos em conta para o Dia das Mães é a Feira de Artesanato do Capibaribe.
Uma dica de presentes com precinhos em conta para o Dia das Mães é a Feira de Artesanato do Capibaribe.

O Prodarte é uma iniciativa da PCR, vinculada à Secretaria de Desenvolvimento Sustentável e Meio Ambiente. “Nosso objetivo é fomentar o artesanato, fortalecendo a geração de renda e a divulgação cultural do município”, afirma a gestora do programa, Ledjane Sales. Atualmente, o Prodarte tem 1.038 artesãos cadastrados. A equipe orienta e apoia a produção artesanal, facilitando o acesso a feiras e capacitações. “Trabalho com artigos de couro, como bolsas, carteiras, chaveiros e porta-moedas. São produtos exclusivos e artesanais. Fiz um curso em São Paulo e aprendi a criar as peças.”, conta a artesã Isa Souto. Seus artigos custam entre R$ 15 e R$ 200. Ou seja, presente para todo tipo de bolso.

Dona Nilza da Mata Lima está no Prodarte há mais de 10 anos. Ela oferece  vestidos artesanais, blusas, batas e pantalonas. “A faixa de preço vai de R$ 25 a R$ 95. Estou também todos domingos na feirinha do Recife Antigo”, conta. Já dona Marluce Lopes trabalha principalmente com peças de cozinha. “Estou vendendo panos de prato, porta-copos e toalhinha, além de produtos de pano como bonecas e chaveiros”, afirma. Agora, é preciso garimpar. Toda lugar onde há comercialização de produtos artesanais, há mercadorias que valem a pena. Mas há, também, aquelas e gosto duvidoso. Então o conselho é visitar todas as barracas, olhar tudo direitinho, para fazer a melhor escolha. Vamos conferir?

Texto: Letícia Lins / #OxeRecife
Foto: Daniel Tavares / Divulgação / PCR

Compartilhe

Deixar uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *