Fortes podem ganhar título da Unesco

Um encontro que acontece a partir de hoje no Recife pode selar o destino de três dos nossos fortes históricos. É o Seminário Internacional Fortificações Brasileiras – Patrimônio Mundial: estudos para a análise de modelos de gestão e valoração turístico cultural. A reunião se prolonga até sexta-feira, no Museu da Cidade do Recife, que funciona no Forte das Cinco Pontas, e conta com participação de especialistas do Brasil, e de outros países da América Latina e da Europa. Um dos principais assuntos na pauta do encontro é confirmação da candidatura de 19 fortes brasileiros ao título de Patrimônio Cultural Mundial, que é conferido pela Unesco. Destes, três ficam em Pernambuco.

No Estado, dos três fortes que são candidatos ao título, dois estão no Recife:  o Forte do Brum e o Forte das Cinco Pontas. O primeiro fica no bairro do Recife e o segundo, no de São José. O terceiro (e mais detonado) é o de Orange, na Ilha de Itamaracá, que fica a 45 quilômetros do Recife. Além de Pernambuco, os Estados que se encontram com fortes em discussão, somam nove, incluindo três localizados no Nordeste: Bahia, Rio Grande do Norte e Paraíba. A ideia é que esses equipamentos – construídos para enfrentar os invasores – sigam cada vez mais vivos,  atraindo turistas.  E não expulsando os visitantes, como ocorria antigamente. Se guiadas e bem orientadas, as visitas contribuem para preservação dessas fortalezas. O uso pode evitar até que se degradem. Há exemplos bons, que serão discutidos no encontro. Entre eles os modelos de governança adotados no Forte de Copacabana (Rio de Janeiro) e no de Tapirandu (no Morro de São Paulo, Bahia). Diretora do Museu da Cidade do Recife, Betânia Correia Araújo apresenta o reuso do Forte das Cinco Pontas.

A expectativa do Iphan, é que, ao final do evento desta semana, seja assinada a Carta do Recife, documento com diretrizes para o estabelecimento de parcerias público-privadas e para a certificação de destinos patrimoniais. A carta deve visar acordos específicos para cada fortificação com a definição de diretrizes de trabalho, que deverão nortear o desenvolvimento das ações de cada um deles. Para o encerramento, estão previstas as presenças do ministros Roberto Freire (Cultura), Defesa (Raul Jungmann), Mendonça Filho (Educação) e Marx Beltrão (Turismo). Segundo o Iphan, os fortes em questão são produtos da ocupação marítima portuguesa e holandesa. Nós, que fazemos o #OxeRecife estamos torcendo pelo destino dessas imponentes construções, que são guardiões de nossa memória.

Texto: Letícia Lins / #OxeRecife

Foto: Andrea Rego Barros/ Divulgação / Prefeitura

Compartilhe

Deixar uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *