“Parem de derrubar árvores” (1)

Tem jeito não. Lá vou eu falar do mesmo assunto de novo. Mas, sinceramente, não conheço nenhuma cidade, onde se veja tantas  árvores “assassinadas”, como ocorre no Recife, onde – a cada esquina – a gente encontra um toquinho no meio do caminho. Ou um toquinho, ou um tronco sem galhas e, em consequência, sem folhas. E sem folhas, a árvore não tem como fazer a fotossíntese e …. morre.

Essa semana, me defrontei com mais uma “vítima” do “genocídio oficial”, na Avenida Rui Barbosa, bem pertinho do Cais da Jaqueira. Desde que assumiu a Prefeitura, a atual gestão já “erradicou” quase 5 mil árvores, segundo a Emlurb. Prejuízo para o meio ambiente e para a população, claro. Já tem até pichação nos muros da cidade, com o célebre apelo “Parem de derrubar árvores”. Internautas que acompanham o #OxeRecife reclamam das gestões públicas e da própria população.

“Reconheço que ele é péssimo, no quesito arborizar a cidade”, afirma a internauta Lara Cristina, em correspondência pelo Facebook. Ela se refere ao Prefeito Geraldo Júlio (PSB). Mas reconhece que, em certas áreas, houve esforço de arborização. “No ano passado, a Prefeitura plantou várias árvores na Rua Doutor José Maria”.  Mostra que  zela pelo verde. “Falei nos prédios para as pessoas aguarem as mudas e cuidarem. Até hoje, caminho com meu cachorro e uma garrafa de três litros para salvar uma, perto da Drogasil”.

Mas se mostra triste com a falta de cuidado da própria população. “Ninguém fez nada. Ninguém jogava nem uma aguinha”. Adelma Nobre culpa o poder público. Refere-se à matança das árvores como “triste e antiga realidade”, que é “fruto de sucessivas gestões irresponsáveis, ignorantes e predatórias”. O pior é que os cortes, as podas radicais e as erradicações são tantas, que as pessoas nem se tocam mais. Virou normal, ver tantas árvores “assassinadas” nas ruas. Eu não consigo me  acostumar, com esse “genocídio oficial”.

(Texto e fotos: Letícia Lins / #OxeRecife)

Acesse sempre o oxerecife.com.br, um blog a serviço da cidade e de sua gente.

Compartilhe

Deixar uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *