Rio Capibaribe ganha ação para limpeza. Trabalho mensal deveria ser diário

Já era tempo. A Prefeitura do Recife anunciou hoje que deu início a mais uma ação para limpar os manguezais do Rio Capibaribe. Desta vez, o trabalho de remoção de lixo e entulhos começa a partir da área de mangue na altura da Avenida Prefeito Artur Lima Cavalcanti, em Santo Amaro. Ao longo da semana, a limpeza será realizado no Cais da Aurora, no Cais José Estelita e no Cais da Alfândega. A ação fica a cargo da Autarquia de Manutenção e Limpeza Urbana do Recife (Emlurb). A iniciativa ocorre uma vez por mês, mas pela sujeira que se observa deveria, sim, ser diária.

Conforme a Prefeitura, 16 homens serão mobilizados. Eles deverão recolher 30 toneladas de lixo. Informa, ainda, que a limpeza mensal do manguezal ocorre em diversos trechos, como os que ficam na altura da Casa da Cultura, do Cabanga, nos bairros da Jaqueira e Poço da Panela. Diz a Emlurb que é feita, também, a coleta de resíduos flutuantes do Rio Capibaribe,  trabalho realizado pelo Ecobarco. O equipamento atua em todos os trechos navegáveis do rio, dentro do município, incluindo as ilhas do Centro do Recife, a Zona Norte até a BR 101, e na bacia do Pina e seus afluentes.

Na Rua Leonardo Bezerra Cavalcanti, em Casa Forte, faz vergonha a margem do rio Capibaribe: nem limpeza nem multas.
Na Rua Leonardo Bezerra Cavalcanti, em Santana, faz vergonha a margem do rio Capibaribe: nem limpeza nem multas.

Na BR 101, no entanto, o trabalho precisa ser expandido para as margens do Rio, que vêm se transformando em depósito de metralhas. Já a cobertura do trabalho anunciado hoje é de aproximadamente 35 quilômetros. “As iniciativas contribuem com a preservação do meio ambiente, retirando os materiais constantemente jogados pela população, como garrafas plásticas, móveis e até equipamentos domésticos. A maioria do lixo removido é de garrafas plásticas, mas, em algumas ocasiões, também são encontrados colchões, móveis, sapatos e peças de aparelhos eletrônicos (como TV e computador)”, diz a Prefeitura.

Adoro caminhar por essa calçada, vendo essas plantinhas.
Na Rua Leonardo Bezerra Cavalcanti, o único trecho limpo da margem do Rio Capibaribe se deve ao irmão de Todo Duro.

A população da Zona Norte agradece, se o trabalho de limpeza se estender à Rua Leonardo Bezerra Cavalcanti, que liga os bairros de Santana e Jaqueira. Ali, as margens do Rio se transformaram em depósitos permanentes de lixo. O material é descartados por condomínios, obras em construção, bares e até estabelecimentos educacionais. Uma punição “educativa” não faria mal a ninguém. A sujeira tanto pode ser observada no trecho próximo ao Shopping Plaza, quanto ao longo do calçadão construído pela Prefeitura no ano  passado, tangenciando uma das margens do Rio Capibaribe.

Tirando a parte que é ocupada mudas do Lojão das Plantas,  instalada naquela artéria, o resto é uma sujeira só, como a que se observa na foto. O Lojão é do comerciante Manoel Horácio Torres, 63, irmão do boxeador Todo Duro. Ele ocupa a faixa com jarros e zela pela limpeza do local. Já  ouviu muitos desaforos, por reclamar da seboseira. Em outras áreas, ao lado da mesma calçada, tem lixo de todo jeito. Até metralhas deixadas por prestadora de serviço que construiu a calçada que tangencia a margem do Rio. Há descartes da obra da própria Prefeitura, ali, que nunca foram recolhidos. É só passar lá para ver…. Sinceramente… #OxeRecife.

(Texto e fotos: Letícia Lins / #OxeRecife)

Acesse sempre: oxerecife.com.br, um blog em defesa da cidade e do seu povo

Compartilhe

Deixar uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.