“Genocídio” oficial das nossas árvores é cada vez maior

Como se não bastasse o abandono a que estão relegadas as praças e parques, as árvores das nossas ruas passam por situação ainda pior. Têm sido vítimas de podas radicais que, muitas vezes, são levadas à morte. Para mim, o que está acontecendo no Recife é um verdadeiro “genocídio”, patrocinado por órgãos oficiais.  Ele só não é maior, porque, em muitos casos, os toquinhos que sobram insistem em sobreviver nas calçadas. Nesse caso, podemos nos referir, então, às muitas tentativas de homicídio. Hoje, como faço todas as manhãs, caminhei bastante. E não gostei do que vi.

Efeito de poda radical,na Rua Menezes Drummond, Madalena: "genocídio" oficial
Efeito de poda radical,na Rua Menezes Drummond, Madalena: “genocídio” oficial está em quase todos os bairros do Recife

Andei por parte da Madalena, das Graças, Jaqueira, Tamarineira, Casa Forte. E o que eu vi nas ruas? Muitas árvores assassinadas. Dá vontade de chorar. Na Joseph Turton, na Tamarineira, são logo duas, que morreram depois do corte. Uma juntinho da outra. Os troncos já estão até secando. Na Madalena, na Rua Menezes Drummond, em frente ao número  36, outro caso grave. A árvore foi, simplesmente, assassinada. Não deixaram um galhinho, e ela não tem mais como sobreviver.

Cemitério de árvores na Rua Joseph Turton, no bairro da Tamarineira.
Cemitério de árvores na Rua Joseph Turton, no bairro da Tamarineira, onde os moradores se queixam do calor em excesso

Na Avenida Parnamirim, outra poda radical, sem sentido, porque nem fiação tinha, que pudesse justificar a iniciativa. Bem pertinho da Rua João Tude de Melo, essa árvore foi impiedosamente atacada pela motosserra. Mas como a natureza insiste, persiste e não desiste, ela tenta sobreviver. Já aconteceu a mesma coisa com uma outra, na Rua Desembargador Gois Cavalcanti, no Parnamirim. Quando as folhinhas começaram a brotar, os algozes passaram lá e só deixaram no canteiro o pó de serra. Dá muita revolta. Não é à toa que os muros do Recife aparecem pichados com frases como “não matem nossas árvores” e nas redes sociais até já chamam o prefeito de “Geraldo Mão de Tesoura”.

Era só um toquinho, por conta da poda exagerada, mas ela quer viver, na Avenida Parnamirim.
Era só um toquinho, por conta da poda exagerada, mas ela quer viver, na Avenida Parnamirim, próximo ao Serpro

Hoje, enquanto caminhava pela Rua do Futuro, um casal reclamava dos cortes. “Olhe para esse tronco, está brotando outra planta por dentro”, disse o rapaz. Ao que a companheira respondeu: “È a mesma árvore, que está tentando sobreviver”. E os dois saíram atacando a Prefeitura, que, para eles, está provocando destruição em massa das árvores. Foram cerca de 5 mil erradicadas nos últimos quatro anos. A Emlurb informa que para unidade derrubada, duas são plantadas.  Alguém se arrisca a apontá-las? #OxeRecife….

(Fotos: Letícia Lins / #OxeRecife)

 

 

Compartilhe

Deixar uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.