Pelas terras da Várzea: volta ao passado

Que tal aproveitar o feriado para um programa cultural? E se esse programa é no meio de uma área arborizada, com árvores frondosas e um caminho margeado de palmeiras imperiais? E com um gramado verdinho, de fazer inveja aos das praças recifenses, que estão todos secos por falta de zelo do poder público? Sabem a que local estou me  referindo? Uma dica: fica na Várzea, na Zona Norte do Recife. Estou falando do Instituto Ricardo Brennand, uma boa opção de passeio nesse 8 de dezembro, já que o IRB vai estar aberto à tarde. A pinacoteca daquele complexo cultural – internacionalmente premiado – traz uma mostra imperdível: “Paisagens Brasileiras do Século 19”.

O Instituto Ricardo Brennand é um bom programa para esse feriado.
O Instituto Ricardo Brennand é um bom programa para esse feriado, e tem exposições temporárias sobre o Brasil e Recife.

A mostra oferece importante produção artística de pintores como Nicolau Antônio Facchinetti, Giovanni Batista e Benedito Calixto de Jesus, que chegaram ao Brasil após a abertura dos portos, em 1808. Através dessa mostra é possível fazer uma “viagem” ao passado, com “passeios” pelo Rio de Janeiro, Minas Gerais, São Paulo, Bahia e Pernambuco. O “passe” para a viagem aos séculos 18 e 19 são mais de 200 obras expostas. Outra exposição temporária interessante – que fica em cartaz até domingo – é “A Maxambomba no Recife”, com coleção de trens em miniatura, gravuras, postais e livros sobre aquele trem que circulava na Capital entre o final do século 19 e o começo do século 20. A mostra informa ao visitante, como era a mobilidade no Recife, entre os anos 1876 e 1916.

Além destas, há duas outras – em caráter permanente – que sempre chamam a atenção dos visitantes. A primeira é “Frans Post e o Brasil Holandês”. Para os que não lembram, Frans Post (1612-1680) integrou a comitiva do Príncipe Maurício de Nassau, tornando-se o primeiro paisagista do Brasil do século 17.  Também há outra,  “O Julgamento de Fouquet”, que retrata um dos episódios mais famosos da Corte de Luís  XIV, quando um dos assessores do chamado Rei Sol foi submetido a julgamento que perdurou por três anos, e que terminou pelo banimento de Nicolas Fouquet da França e confisco de todos os seus bens. O IRB é um complexo de edificações que incluem o Museu Castelo São João (onde fica coleção de armas brancas), Pinacoteca, Biblioteca, Auditório, Parque de Esculturas e ainda uma Galeria para exposições temporárias e eventos. Todo esse conjunto está no meio de uma área bucólica, situada no antigo Engenho São João da Várzea, que foi propriedade de João Fernandes Vieira, um dos líderes da Restauração Pernambucana de 1654. Como se isso tudo não bastasse, a área verde, tem 77.603 metros quadrados,  com árvores nativas da Mata Atlântica. Passeio bom. #OxeRecife recomenda.  Quem for lá ainda pode desfrutar de serviços de restaurante e lanchonete.

(Fotos: Paloma Amorim / Divulgação)

 

SERVIÇO:

Instituto Ricardo Brennand

Engenho São João, s/n, na Várzea (Alameda Antônio Brennand)

Funcionamento: De terça a domingo, das 13h às 17h.

Entrada: R$25,00/inteira e R$12,00/meia-entrada.
Informações: (81) 2121-0352.

www.institutoricardobrennand.org.br

 

 

 

Compartilhe

Deixar uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *