“Senhora de Engenho – Entre a Cruz e o Torá”, de Camaragibe ao Rio de Janeiro

Uma notícia boa. Depois de sete temporadas e seis festivais em Pernambuco, o espetáculo “Senhora de Engenho – Entre a Cruz e o Torá”, inicia circuito nacional com duas apresentações no Rio de Janeiro. Como vocês devem lembrar, o espetáculo é realizado pela Companhia Popular de Teatro de Camaragibe. E é muito salutar que a cidade, carente de outras manifestações culturais, tenha um grupo de teatro tão atuante.

“Senhora de Engenho – Entre a Cruz e o Torá” conta a saga de Branca Dias, judia, que fugia da Inquisição em Portugal, chegando à capitania de Pernambuco em 1554. E se depara com uma situação bem diferente daquela que almejara, pois encontra um engenho de cana-de-açúcar inóspito, com população de hábitos rudimentares. Ela e o esposo tentam viver uma nova vida, como o desafio de resgatar e promover a sua fé, mesmo diante de tantas adversidades daquela época.

A encenação é disposta em uma arena, e os atores convidam a plateia a sentar à mesa de jantar da protagonista, vivenciando o mesmo ambiente de intrigas e reviravoltas da história da cristã nova, que deixou um legado de coragem e determinação. A encenação com texto da carioca Miriam Halfim – tem direção do pernambucano Emanuel David D´Lucard. E já participou do Oitavo Festival Internacional de Teatro Itinerante do Chile. No Recife, ganhou o prêmio Júri Popular no Janeiro de Grandes Espetáculos de Pernambuco, em 2014.

No Rio de Janeiro, a primeira apresentação será às 20h do dia 6 de dezembro, na famosa Escadaria de Selarón, na Lapa. Os ingressos custarão R$ 30 e R$ 15. Na tarde seguinte, no dia 7, o grupo faz a contrapartida social. Apresenta-se a partir das 13h na Escola Municipal Menezes Vieira, que fica no Alto da Boa Vista. A apresentação será gratuita, para estudantes, pais e para os beneficiários do Asilo Floriano de Lemos. Depois do Rio, o grupo teatral viaja para Caicó, no Rio Grande do Norte. O processo é o mesmo: uma apresentação paga e outra  grátis, em escola pública. A turnê nacional tem apoio do Funcultura (Fundo Pernambucano de Incentivo à Cultura).

Compartilhe

Deixar uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *