“Flor é amor e vida”

“Flor é amor”, “flor  é vida”, “flor é alegria”. É assim que os vendedores de flores das ruas do Recife definem a importância do seu produto. E, pouco a pouco, eles começam a encher de colorido as nossas esquinas. Pelo menos na Zona Norte, onde podem ser vistos nas calçadas dos bairros das Graças, Casa Forte, Parnamirim, Madalena, Casa Amarela. Entre rosas, girassóis, crisântemos, margaridas, lírios, azaleias, gérberas, eles fazem a festa dos nossos olhos.

Um dos pontos mais tradicionais é o Quiosque das Flores, que fica na Avenida Malaquias, bem pertinho da Rua do Futuro. Há 16 trabalhando no setor, o responsável pelo estabelecimento, Nelson Alves, afirma que a mais procurada é a rosa vermelha. Bom sinal. Dizem os entendidos que a rosa vermelha significa paixão ardente. Nelson vende flores isoladas e arranjos a partir de R$ 15, com “as flores que o cliente escolher”. Ele comercializa cerca de 30 tipos diferentes, vindos de Gravatá, do Ceará e até de São Paulo. “Flor é alegria, é vida”, diz ele, cujo quiosque funciona de domingo  domingo.

Nelson Alves vende flores há uma década na Avenida Malaquias: "flor é amor, é vida", diz.
Nelson Alves vende flores há uma década, de domingo a domingo, na Avenida Malaquias: “flor é amor, é vida”.

Outro ponto de venda fica na Rua Leonardo Bezerra Cavalcanti,  em uma esquina onde funcionava a loja Insinuante. É uma graciosa carroça, a Antônio Flores, que também está sempre  lá no horário comercial, por toda a semana. Aos domingos, no entanto, ela só funciona de sete às 14h. Jardineiro profissional, Adriano Alves de Andrade trabalha no local há 17 anos, alternando-se com outro funcionário. “É que também faço jardins”, diz. “Gosto das plantas desde pequeno”.

Para Adriano, “flor é a alegria da vida”. Ele prepara arranjos a partir de R$ 30, e diz que a maior demanda é aos finais de semana. “As pessoas compram sorrisos-de-maria para enfeitar a casa”, conta. “Mas as rosas, geralmente são para presentear, principalmente namoradas, esposas, amantes”. Na Avenida Beira Rio, na Rua do Futuro e na Praça de Casa Forte, geralmente há pessoas vendendo flores, em caminhonetes. A maior parte destas, no entanto, comercializam as chamadas flores tropicais, como sorvetões, helicônias, bastões, alpínias, musas e antúrios, entre outros.

(Fotos: Letícia Lins / #OxeRecife)

Compartilhe

Deixar uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.