Novas cores dão vida à Mangabeira

Se tem uma iniciativa que acho uma graça é o Programa Mais Vida nos Morros. Passando recentemente pela Mangabeira – como vocês sabem, adoro andar a pé – me chamou a atenção um beco estreito, com paredes coloridas, e pneus cheios de plantas, pendurados nos muros, ao lado das escadarias. Lá em cima, o morro também estava bonito, colorido. Soube depois que a iniciativa faz parte desse programa, que vem sendo desenvolvido pela Prefeitura. E que já beneficiou os Altos do Maracanã,  José do Pinho, Córrego do Jenipapo e Mangabeira, onde estive, antes mesmo dele ser inaugurado. As quatro localidades ficam na Zona Norte. O próximo a contar com o benefício, é na Zona Sul, no Ibura.

De acordo com a Prefeitura, o programa surgiu inspirado em iniciativas semelhantes já implantadas no metrô de Nova Iorque, e também no México e na Colômbia. O objetivo era enfrentar o vandalismo. Segundo a Emlurb, “a transformação no território lá fora foi um grande estímulo para a redução da criminalidade”. No Recife, um dos objetivos é evitar que as populações continuem jogando o lixo nas encostas. Conforme, ainda, a Emlurb, “escolhas, decisões, priorizações, implantações, são feitas a partir de demandas dos antigos moradores”. Além do aspecto estético – que confere uma nova   paisagem aos tão castigados morros da cidade – o “Mais Vida” traz uma série de outras iniciativas, que vão da instalação de minhocários, passam pela compostagem do lixo orgânico e por hortas comunitárias. E também por equipamentos de lazer, como brinquedos para as crianças.

Gosto muito disso. Mas falta mais. Porque nos morros, o que se vê é muito esgoto a céu aberto. Também há muitas queixas de problemas no abastecimento. E sobretudo demandas quanto à falta de trabalho. Então seria muito interessante, mas muito interessante mesmo, que essas melhoras não sejam apenas uma maquiagem. Porque o povo do morro quer mais. Que tal instituir programas de geração de emprego e renda, e fomentar o turismo lá em cima? Afinal, o morro, colorido é lindo. Mas seria mais lindo, ainda, se não tivesse tanto lixo acumulado lá em cima e os esgotos escoassem como deveriam: em tubulações subterrâneas até estações de tratamento, que os transformassem em água limpa, para, enfim, desaguar em córregos e e no nosso amado Rio Capibaribe. Só assim, o ciclo se fechava, Revitalizar, colorir, é bonito. Mas não é tudo, e ao invés de transformados apenas em cal, pedra e tinta, os morros precisam, também, de arborização. E muita. Nesse final de semana percorri o Alto do Jenipapo que ganhou intervenção do Mais Vida Nos Morros. Na segunda, conto como foi a experiência com um grupo de pessoas, que, como eu, são caminhantes e amantes da nossa cidade tão querida e nem sempre tem o cuidado que merece por parte da própria população e do poder público.

 

(Foto: Letícia Lins/ #OxeRecife)

Compartilhe

Deixar uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *